Picardia


Para que serve a Parada?
14 junho, 2009, 22:25
Filed under: Geral
Para que serve a Parada?
Eu sei que é importante a luta, que os direitos dos homossexuais no Brasil ainda não estão garantidos e que ir às ruas e ganhar visibilidade é um passo importante para conquistar apoio político e da sociedade.
Mas para que mesmo serve a parada? Para que as baladas de São Paulo e os hotéis faturem? Para que tenhamos uma micareta gay uma vez por ano?
Se o motivo acima for real, ótimo. Desde que isso seja assumido como a razão principal do evento.
O que não dá é fingirmos que estamos fazendo uma luta, quando todos estão para lá de “colocados”, só pensando na próxima festa. E falo isso como alguém que não foi à Parada, mas foi às festas e aproveitou como todas as outras pessoas.
Mas a luta política sumiu. Na quinta-feira, no Anhagabaú, a presidente da ONG que organiza a Parada, o transsexual Aleandre Santos, o Xande, subiu ao palco. O público era bem eclético. Ele podia falar de tudo, puxar a questão da isonomia dos direitos. Preferiu dar dicas de segurança pessoal.
No Gay Day, no PlayCenter, no sábado, ele também foi ao microfone. Com o discurso ampliado: dicas de segurança pessoal e orientações sobre vinho batizado.

Eu sei que é importante a luta, que os direitos dos homossexuais no Brasil ainda não estão garantidos e que ir às ruas e ganhar visibilidade é um passo importante para conquistar apoio político e da sociedade.

Mas para que mesmo serve a parada? Para que as baladas de São Paulo e os hotéis faturem? Para que tenhamos uma micareta gay uma vez por ano?

Se o motivo acima for real, ótimo. Desde que isso seja assumido como a razão principal do evento.

O que não dá é fingirmos que estamos fazendo uma luta, quando todos estão para lá de “colocados”, só pensando na próxima festa. E falo isso como alguém que não foi à Parada, mas foi às festas e aproveitou como todas as outras pessoas.

Mas a luta política sumiu. Na quinta-feira, no Anhagabaú, a presidente da ONG que organiza a Parada, o transsexual Aleandre Santos, o Xande, subiu ao palco. O público era bem eclético. Ele podia falar de tudo, puxar a questão da isonomia dos direitos. Preferiu dar dicas de segurança pessoal.

No Gay Day, no PlayCenter, no sábado, ele também foi ao microfone. Com o discurso ampliado: dicas de segurança pessoal e orientações sobre vinho batizado.

Anúncios

Deixe um comentário so far
Deixe um comentário



Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s



%d blogueiros gostam disto: